terça-feira, 27 de outubro de 2015

lou reed morreu

inocência
perdida tão cedo

mãos pequenas
que podem retroceder o tempo
e retorcer o espaço
esganando
e enganando
a morte
que vos espera
pacientemente
pelos cantos mais sórdidos
e sombrios
do trajeto

quero tocar teus dedos
encontrar o que há por trás da capa
que nos leva aos bastidores
sentir as vibrações que não tive
enquanto vivo

ouço as batidas do meu coração
no ritmo das batidas em minha porta
e da bateria da música que estou ouvindo
no volume máximo
tudo
é o mesmo
som

arranho as paredes
ecoando as distorções da guitarra
a última sinfonia é tocada
o regente já pode deitar o corpo
e esperar
os aplausos da plateia
e as luzes acesas
indicando as saídas
do grande concerto

28.10.2013

por: Antonio Lima Júnior

Nenhum comentário:

Postar um comentário